otimismo

otimismo
mensagem

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Botando a cabeça prá funcionar



http://4.bp.blogspot.com/-DaVdPjy43Bk/VNS4tKCBdRI/AAAAAAABjIQ/zlmex5N8rOc/s1600/selo%2Bbotando%2Bcabe%C3%A7a%2Bpermanente.jpg 






Hoje o desafio da Chica é esta imagem 
Todo dia 5  -15 e 25 teremos esta brincadeira 



http://2.bp.blogspot.com/-6vk9BKjjxbk/VKWaPTiM76I/AAAAAAABhrg/yBTS0BXmrcs/s1600/1.jpg



Participe você também desta alegre brincadeira com a Chica
http://chicabrincadepoesia.blogspot.com.br/


Minha interpretação é : 

"Nos pensamentos mais intrincados podem também surgir belas e sugestivas ideias" 


Contemplando Deus no silêncio da manhã



Abrir a janela pela manhã. Sentir a brisa fresca que toca o rosto.
Observar pássaros que voam e gorjeiam alegremente.
A imensidão do céu azul...nuvens brancas suspensas no ar
Minha voz se cala, meu coração se queda em oração
Um momento de silêncio! Um silêncio de oração, um silencio de louvor
Um silencio de agradecimento! Um silêncio de apenas contemplação!
É bom ficar ali, silenciosamente! Apenas contemplando...
Deixando que apenas o coração fale...Feliz por estar com Ele!
"Quando orardes, não useis muitas palavras"
"Vosso Pai celeste sabe o que lhe é necessário, antes que vós lhe pecais"


Bom viver o dia em atitude de completa oração!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Livre...mas prisioneira

Republicando...

Ela sonha com sua liberdade.
Esta liberdade de fazer exatamente tudo que tiver vontade.
Não como quer, mas como deve...
Ah, poder voar como pássaros nas alturas, apenas o céu como limite.
Alçar voo, conhecer outros quintais...
Ser livre como o rio que corre tranquilo, manso ou mesmo furioso.
Mas sempre independente. Traçando seu próprio percurso.
Poder decidir por si só, em tudo que a vida proporciona..
Abraçar, rir, cantar, rodear-se de amigos.
Mas arroubos de coragem acontecem uma só vez na vida.
E uma oportunidade desprezada é fruto que não vingou.
É flecha atirada que não atingiu o alvo.
Uma oportunidade não bate duas vezes na mesma porta.
Ah, se ela pudesse voltar atrás..
Mas o medo a paralisou.
E uma vez lá fora a caminho da liberdade, sentiu-se perdida.
Como o pássaro no cativeiro,
Abre-se a porta da gaiola ...
E ele não sabe o que fazer com a imensidão do horizonte à sua frente.
Corre o risco de cair em mãos do predador.
Hoje tem consciência de sua prisão.
Mas insiste em se manter prisioneira.
Já não encontra forças  nem coragem para lançar-se novamente à aventura.
O medo ainda a paralisa.
Mas a liberdade de pensamento, ah, essa é inviolável.
Recolhida consigo mesma, pensamentos vão, pensamentos vem.
Angústias, ansiedades, desejos presos no íntimo querem lhe sufocar.
Escrever é um desabafo.
É a hora em que se sente mais livre.
Liberdade é condição inerente ao ser humano.
Mas precisa ser conquistada.
Aos fracos e submissos é sempre roubada.
E assim  a vida segue seu curso.
E ela caminhando sempre...
Livre...mas, prisioneira.



segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A beleza das quaresmeiras



Nessa época do ano, um olhar mais atento à nossa volta e nossos olhos se encherão com a beleza das quaresmeiras.

É durante essa época, logo após o carnaval que não só as matas , mas também ruas e jardins exibem seu colorido exuberante . 

 

Quaresmeira, alias um nome popular muito adequado à essa planta cujo nome científico é Tibouchina Granulosa.

Quaresma, época de recolhimento e de conversão segundo a tradição católica onde os paramentos litúrgicos também são da cor roxa , como as quaresmeiras.

Como se a Natureza também, muito sabiamente se revestisse de um tom que remete à expectativa do calvário de Cristo assim como anuncia também a festa da Ressurreição.




Flor da quaresma, belíssimas em seus tons que vão do lilás claro quase rosa ao lilás escuro e finalmente roxo. Um belo contraste com os vários tons de verde da natureza.

De fácil adaptação a terrenos bem drenados , a quaresmeira é usada como planta ornamental também em ruas e praças sendo de grande utilidade para revitalizar terrenos degradados , por isso conhecida também como pioneira.: aquela que “repovoa” áreas degradadas ou seja, faz a sucessão ecológica
Este exemplar  fica bem em frente à janela do meu quarto em Goiânia.

  Aqui em mina pequena cidade  essa flor é abundante. Não há como não parar em contemplação



O contraste do roxo intenso com o céu azul também intenso...




sábado, 21 de fevereiro de 2015

Girassóis e miosótis

Vejam como o autor foi feliz nesta comparação entre os filhos e as flores.  Uma bela reflexão que pode ser empregada a nós também. Seremos nós girassóis que suportam qualquer intempérie? Ou flores delicadas    e dependentes como os miosótis que  se curvam diante de possíveis desacertos da natureza? Ou somos pessoas equilibradas que driblam as dificuldades conforme o vento sopra? Ora girassol, ora miosótis...

O girassol é flor raçuda, que enfrenta até a mais violenta intempérie e acaba sobrevivendo.

Ela quer luz e espaço e sai em busca desse viver com o sol, e por isso é forte.
Já o miosótis é plantinha linda,
mas que exige muito mais cuidado.
Gosta mais de estufa. O girassol se vira... E como se vira!
O miosótis quando se vira, vira errado.
Precisa de atenção redobrada. Há filhos girassóis e filhos miosótis.
Os primeiros resistem a qualquer crise: descobrem um jeito de viver bem, sem ajuda.
As mães chegam a reclamar da independência desses meninos e meninas,
tal a sua capacidade de enfrentar problemas e sair-se bem.
Por outro lado, há filhos e filhas miosótis, que sempre precisam de atenção.
Todo cuidado é pouco diante deles.
Reagem desmesuradamente, melindram-se, são mais egoístas que os demais,
ou às vezes, mais generosos e ao mesmo tempo tímidos, caladões, encurralados.
Eles estão sempre precisando de cuidados.
O papel dos pais é o mesmo do jardineiro que sabe das necessidades de cada flor,
incentiva ou poda na hora certa.
De qualquer modo fique atento.
Não abandone demais os seus girassóis porque eles também precisam de carinho...
E não proteja demais os seus miosótis.
As rédeas permanecem com vocês... Mas também a tesoura e o regador.
Não negue, mas não deem tudo que querem:
a falta e o excesso de cuidados matam a planta.
 

Autoria de José Fernandes de Oliveira ("Pe. Zezinho”)

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015